Biblioteca inconsúltil

Eis uma bibliografia com os mais famosos livros que jamais existiram. Alguns podem até ter sido escritos um dia  (como o segundo volume da Poética de Aristóteles que tantas mortes causou em O nome da Rosa), outros até convencem como verdadeiros (como as veredas bifurcantes borgianas) mas de fato todos repousam somente nas estantes imaginadas pelos escritores para seus personagens. Pena para os leitores, que não podem compartilhar do entusiasmo de Holden Caufield por O peixe-dourado secreto nem podem consultar a casmurra História dos subúrbios.  

 

ALHAZRED, Abdul [Árabe Louco] : Necromicon.

Primeira menção no conto “O cão” [“The hound”] de H. P. Lovecraft.

 

ANDREÄ, Johan Valentin : Lesbare und lesenwerthe Bemerkungen über das Land Ukkbar in Klein-Asien.

“Tlön, Uqbar, Orbis Tertius”, de Jorge Luís Borges

 

ANÔNIMO : O vade-mécum do cuidado do lar celestial e 53 outras coisas para se fazer na gravidade zero

O guia do mochileiro das galáxias, de Douglas Adams

 

ARCHANJO, Pedro : A vida popular na Bahia (1907) e Influências africanas nos costumes da Bahia (1918)

Tenda dos milagres, de Jorge Amado.

 

ARISTÓTELES : Poética (vol. II)

O nome da Rosa, de Umberto Eco.

 

AUGUSTO [Epifânio Moura] : A arte de andar nas ruas do Rio. 

“A arte de andar nas ruas do Rio”, de Rubens Fonseca.

 

BANDINI, Arturo : O cachorrinho riu e As colinas há muito perdidas

Pergunte ao pó, de John Fante

 

BENDRIX, Maurice : O anfitrião ambicioso e A imagem coroada

Fim de caso, de Graham Greene

 

“BISPO VERMELHO” : Commentarium

Aqueles malditos cães de Arquelau, Isaías Pessoti.

 

CAULFIELD, D.B. : O peixe-dourado secreto

O pegador no campo de centeio, de J.D. Salinger

 

GARCIA LEON, Hernando : A nova era e a escada ibérica

Os detetives selvagens, de Roberto Bolaño

 

GARP, T.S. : Procrastinação e As ilusões de meu pai.

O mundo segundo Garp, de John Irving

 

GLASS, Nathan : O livro da loucura humana

Cidade de vidro, de Paul Auster

 

GODDARD (primeiro nome desconhecido) : O levante dos impérios de cor

O grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald

 

HARDING, York : O papel do Ocidente

O americano tranquilo, de Graham Greene

 

IKOKA, Takakumi : Sobre o tapete de folhas iluminadas pela lua

Se um viajante numa noite de inverno, de Italo Calvino

 

JADWAY, J.J. : Os sete minutos

Os sete minutos, de Irving Wallace

 

MAYHEW, W.P. : Nabucodonosor

Barton Fink, filme dos irmãos Cohen

 

MIR BAHADUR ALI : Aproximação de Almotásim, um jogo com espelhos que se deslocam. Prefácio de Dorothy L. Sayers. Londres, 1934 [2ª edição]

“Aproximação a Almotássim”, de Jorge Luis Borges

 

O’FALLON, Vendla : Garota do papai

As correções, de Jonathan Franzen

 

QUILTY, Clare : A pequena ninfa, A dama que amava o relâmpago (coautoria de Vivian Darkbloom), Era das trevas, O estranho cogumelo, Amor paternal e Os caçadores encantados.

Lolita, de Vladimir Nabokov

 

RAMIRES, Gonçalo Mendes : A torre de D. Ramires

A ilustre casa de Ramires, de Eça de Queirós

 

RAY, John, Jr., PhD : Os sentidos fazem sentido?

Lolita, de Vladimir Nabokov

 

SANTIAGO, Bento : A história dos subúrbios

Dom Casmurro, de Machado de Assis

 

TOPSIUS, Dr. [primeiro nome desconhecido] : Jerusalém passada e comentada

A relíquia, de Eça de Queirós

 

TS’UI, Pên : O jardim das veredas que se bifurcam

“O jardim das veredas que se bifurcam”, de Jorge Luis Borges

 

TRIGORIN, Boris Alekseyevich : Dias e noites

A gaivota, peça de Anton Tchékhov

 

TULL, Richard : Os sonhos não significam nada e A história da humilhação crescente.

A informação, de Martin Amis